WeCreativez WhatsApp Support
Nossa Equipe está aqui para responder às suas perguntas.
Oi, como podemos ajudar?

Indústria farmacêutica paraguaia fatura USD 240 milhões e ultrapassa o Uruguai

Empresas paranaenses investem US$ 550 milhões no I semestre em terras guaranis
18 de agosto de 2010
AmBev comemora 100 anos de cervejaria paraguaia
31 de agosto de 2010
Remédios

Remédios

Os 45 laboratórios paraguaios, que empregam mais de 4.000 trabalhadores diretos, faturaram USD 240 milhões em 2009, sendo 10%, em exportações.

O valor é superior aos USD 200 milhões comercializados pelos laboratórios uruguaios no mesmo período.

A informação provém da CIFARMA, Câmara Paraguaia da Indústria Farmacêutica, e o Ministério da Indústria do Uruguay.

Para 2010, o Paraguai prevê um crescimento de 30% no total de vendas, e 20% nas exportações.

Desta forma, as vendas totais devem atingir USD 300 milhões, de acordo às últimas estimativas da CIFARMA.

Internamente, a indústria local detém 70% do mercado, a maior participação nacional dentro do MERCOSUL.

USD 180 milhões em investimentos

O resultado foi alcançado graças a um investimento de USD 180 milhões nos últimos dez anos, especialmente em tecnologia e adequação dos laboratórios aos padrões internacionais de qualidade.

Quase 100% da matéria prima, ou seja, princípios ativos são importados da China.

Levando em conta que a mão de obra paraguaia tem o menor custo do MERCOSUL, devido  ao fato de o empregado paraguaio trabalhar, em média, 48 dias a mais do que o brasileiro, além da baixíssima carga tributária, o custo do medicamento produzido no Paraguai é o mais baixo da região, tornando-o altamente competitivo.

Crescimento em plena crise

Durante o biênio 2008-2009, os laboratórios paraguaios aumentaram 50% suas ventas, sendo 16% em 2008, e 34% em 2009, apesar da forte crise econômica internacional.

O fato ajudou a aumentar a fatia local de 60% para 70% e sustentar o crescimento das exportações a um ritmo anual de 20% no período.

Laboratórios nacionais dominam

Uma característica do mercado paraguaio é que, ao contrário de Brasil, Argentina e Uruguai, são os laboratórios nacionais que dominam o mercado interno.

Com isso, as empresas paraguaias possuem liberdade de importar a matéria prima dos países com melhor custo, o que permite manter uma alta competitividade dos produtos a nível regional.

Como exemplo, no Brasil a indústria local possui 35% do market share, enquanto no Uruguai, as transnacionais dominam 44%.

Quinze mercados externos

Entre os principais clientes estrangeiros dos laboratórios guaranis, encontram exigentes mercados, como o Chile, Argentina, Uruguai e Costa Rica.

As vendas externas devem superar os USD 30 milhões neste ano, e diversos laboratórios preparam-se para exportar ao Brasil, principal alvo das empresas locais.

Somente neste ano, as vendas de medicamentos paraguaios ao Brasil avançaram 71% em relação a 2009.

Alta qualidade e preço competitivo

O sucesso do medicamento paraguaio, além da alta qualidade dos produtos, é o fato de ser considerado o mais barato do MERCOSUL.

A importação de matéria prima de China e Índia, e os investimentos na infraestrutura e mão de obra especializada, permitem às empresas paraguaias dominarem mercados onde competem”, afirma o economista Federico Ortega Céspedes, professor da Universidad Autónoma de Luque.

Como exemplo, um mesmo medicamento produzido no Paraguai custa, em média, 50% menos do que no Brasil.

Laboratório completa 75 anos

O melhor exemplo da força da indústria farmacêutica guarani é o Laboratório LASCA S.A., o mais antigo do país, que completou, em 2010, 75 anos de existência, empregando mais de 500 funcionários..

O mais recente sucesso de LASCA é o desenvolvimento do medicamento RHEUMAZIN, amplamente utilizado no Brasil e Argentina, e considerado um dos melhores mercado no tratamento de reumatismo e gota.

Mas o maior exportador farmacêutico paraguaio é a empresa La Farmacéutica Paraguaya, que em 2009 totalizou USD 15 milhões em vendas a 11 mercados, um novo recorde da empresa.

Com o avanço da integração do MERCOSUL, e a permanente abertura brasileira, as empresas paraguaias possuem uma excelente perspectiva de crescimento.

Comments are closed.