WeCreativez WhatsApp Support
Nossa Equipe está aqui para responder às suas perguntas.
Oi, como podemos ajudar?
Investimento do Brasil no Paraguai triplica
5 de noviembre de 2010
PIB do Paraguai cresce 11,7% do I Semestre
18 de noviembre de 2010
Expo 2010

Expo 2010

Empresários brasileiros e paraguaios fecham  negócios durante Encontro de Negócios

Um total de 85 empresas brasileiras e paraguaias estiveram presentes no encontro de negócios da I Expo Integração, dia 21 de outubro, na sede do SESC SENAC em Foz do Iguaçu.

Entre os negócios fechados, encontra-se o início da exportação de farinha de trigo do Paraguai para o Brasil, através da parceria entre a CAPAMOL – câmara paraguaia de moageiros, que representa 45 moinhos-, a paraguaia Hilagro, e as brasileiras Moinho Arapongas, Moinho Matilde, de Foz de Iguaçu, e RF Distribuidora, de Cascavel.

Após visita técnica dos empresários brasileiros aos moinhos paraguaios, decidiu-se que a CAPAMOL instalará um escritório próprio e uma distribuidora no município de Foz de Iguaçu, para facilitar os negócios entre os dois países.

Existe uma possibilidade real de o Paraguai exportar até 500.000 toneladas anuais de farinha e derivados ao mercado brasileiro, através desta parceria.

Outro negócio importante fechado foi o acordo entre a Exportadora São João, de Foz de Iguaçu, e a empresa Nogal, do Paraguai, para exportação de colchões paraguaios ao mercado paranaense, sendo que a São João será a responsável pela importação e representação dos produtos paraguaios.

Da mesma forma, a empresa Tecelagem Damata iniciou conversações com as indústrias paraguaias Cortinerías Del Paraguay, Condor e Catedral, para importação de roupas de cama, mesa e cortinas, assim como já faz a Buddemayer, principal concorrente da Damata no mercado brasileiro.

Já na área metalúrgica, a empresa paraguaia FIRE MÁSTER, maior fabricante local de equipamentos de segurança, iniciou contato com a brasileira Extinorte, uma das principais de Maringá na área de extintores, para iniciar exportações ao mercado brasileiro.

No setor gráfico, a CPX de Umuarama, iniciou conversas com a Gráfica Mercúrio de Asunción, para a terceirização de parte da sua produção ao mercado brasileiro, incluindo revistas ao mercado paulista.

Finalmente, a empresa brasileira Valarini, de Cianorte, fechou contrato de representação para seus produtos, café industrializado, para venda no mercado paraguaio.

Investidores estiveram presentes

Além das empresas que estiveram participando das rodadas de negócios, investidores brasileiros também aproveitaram para conhecer mais sobre o potencial de negócios no Paraguai.

É o caso das empresas paulistas TERRACOR, corantes cosméticos, presente através de seu proprietário, Sr. Leonardo de Giovanni, e da Printbill Embalagens, representada por seu superintendente José Edilberto ferreira, ambas de São Paulo.

Ambos demonstraram surpresa e entusiasmo pelas potencialidades do Paraguai para investimentos, após palestras do responsável da REDIEX, Sebastián Bogado, e do diretor do BRASPAR. Dr. Wagner Enis Weber.

Na continuidades, os empresários foram recepcionados pelo paraguaio Christian Cuenca, proprietário da Gráfica EDIGRAF, de Cidade do Leste, com quem continuarão negociações  para estudo de viabilidade de investimentos conjuntos em novas unidades no Paraguai.

Comments are closed.